Algumas questões sobre fungos.

1-)Pra que serve um fungo? Só pra pôr na comida?
Não!
Na natureza fungos são decompositores importantes, é importante que alguém quebre a matéria orgânica, liberando não só o dióxido de carbono na atmosfera como também retornando ao solo os compostos nitrogenados e outras substâncias que poderão ser reutilizadas pelas plantas. Ou seja, fungos sevem pra apodrecer as coisas e eles não distinguem uma árvore caída na floresta de uma cerca, ele simplesmente joga suas enzimas encima da madeira pra digeri-la e se alimentar. Isso faz deles um grupo de interesse para o homem, pois quase nenhum ser humano gosta de ter suas coisas mofadas ou com cogumelos nascendo em cima. Mas há quem cultive fungos comestíveis, por causa da grana que eles ganham em cima dos cogumelos. Os bêbados também são fãs do trabalho dos fungos, uma vez que o Álcool é produzido por um fungo. Aquele monte de velho que logo cedo fica fazendo fila na porta da padaria também prefere a comida com fungo. É verdade que quanto o pão vai pro forno o fungo morre, mas sem a ação das leveduras não teríamos pão fermentado. Usa-se uma levedura na fabricação de certos tipos de queijo. A penicilina é um remédio que vem de um fungo, fungos são benéficos para, plantas e algas, por viverem em simbiose com eles, enfim eles são seres legais que ajudam a natureza a manter seu equilíbrio e de quebra nos fornecem bebidas alcoólicas, pães fermentados e queijos

2)Fungo é um tipo de planta, né tio?
Não!
Os fungos podem até se parecer com plantas, por serem sésseis e paradões, ficando sempre plantados em um lugar só. Antigamente classificavam-se os fungos como uma esquisitice botânica que por algum motivo perdeu a capacidade de fazer fotossíntese e que passou a viver sobre sua comida. Hoje em dia acredita-se que os fungos estão mais perto de uma barata do que de uma samambaia! As samambaias têm parede celular de celulose e os fungos, ao contrário, têm parede celular de quitina.
-Quitina? Que nem exoesqueleto de barata?
Não é um exoesqueleto é uma parede celular, mas a substância é a mesma. E não é só isso, as células dos fungos armazenam seu alimento na forma de glicogênio, mesma substância usada por animais como as baratas já as plantas utilizam amido como reserva.
Isso indica que os fungos são mais próximos dos animais do que das plantas, apesar de terem mais cara de planta.

3)Tá mofado, credo! Posso jogar esse negócio fora?

Não!
Um dia, lá pelo ano de 1928, um tal Alexander Fleming, que era cientista e que por algum motivo cultivava Straphylococus em uma placa de petri,( sabe aqueles vidrinhos redondos, mais largos do que altos, onde os cientistas cultivam fungos, bactérias e nojos em geral? Isso é uma placa de Petri.) Um dia uma das tais placas de Petri do Alexander mofou ! O que o grande Alexander fez? Botou aquele mofo no microscópio e descobriu a penicilina! Ele viu que o organismo que crescia ali pruduzia alguma substância que matava as bactérias que ele cultivava com tanto carinho. Só que ele percebeu que essa substância que matava suas queridas bactérias mataria também bactérias que causam doenças graves nas pessoas. E assim foi descoberto o primeiro antibiótico.

4)Tá mofado só no cantinho, se eu cortar essa parte verde peluda eu posso comer o resto né?

Não!
A parte verde peluda não é a parte principal do fungo. É só a estrutura que o fungo usa pra espalhar seus esporos por aí.
A parte principal dele é chamada micélio, que é um emaranhado de células filamentosas que crescem por toda a laranja ou pão pedaço de madeira ou onde quer que o organismo se desenvolva. E é só isso, esse tipo de “bicho” não têm boca ou estômago pra mastigar e digerir seu alimento, nem pernas ou braços pra poder correr atrás de comida, ele cresce em cima da sua comida liberando enzimas que digerem o alimento, depois ele absorve o produto dessa reação e é esse o rango dele. Esse micélio serve também pra reprodução. No geral os fungos podem se reproduzir por um mote de formas diferentes, com ou sem sexo. Tudo bem que falar de sexo de fungo é meio esquisito. No geral o ciclo de vida é o seguinte: Um esporo cai no substrato-laranja, pão, a fita do vídeo do casamento de seus pais – e começa a germinar. Depois de germinar ele encontra com outro e ocorre a plasmogamia, ou seja, as células se fundem, como um espermatozóide que entra no óvulo, mas ao contrário dos núcleos do óvulo e do espermatozóide, que se fundem o mais rápido possível, na plasmogamia só o citoplasma se funde, os núcleos vão se fundir mais tarde. Essas células muito loucas com dois núcleos formarão um tipo de micélio que dará origem aos esporos. Depois de um tempo os núcleos se fundem e ocorrem algumas divisões celulares tão loucas conforme o tipo do cogumelo que vai nascer permitir. As células originadas á partir dessas divisões celulares serão outros esporos que recomeçarão o ciclo. Alguns tipos de fungo se não encontram uma “fêmea” podem ficar se reproduzindo sem sexo, através de esporos. Fêmea e macho são duas coisas que não se aplica á fungos, eles não têm pipi nem menstruam então não dá pra usar esses termos. Usa-se linhagens +(mais) e linhagens – (menos). Ou seja, tirando a aparte verde-peluda o fungo não só permanece lá dentro como também está vivo, se alimentando e se reproduzindo.

5) O Mário come um cogumelo e fica grande e forte, se eu comer um vou ficar grande e forte também?

Não!
Cogumelo é o corpo de frutificação de alguns basidiomicetos, ou seja, eles existem para que os fungos se reproduzam, se você encontra um negócio desses por aí e manda pra dentro o problema é seu. É verdade que dá pra ir tranquilamente num supermercado e comprar um pote de champignon, ou seja, lá como se escreve o nome dessa coisa, e comê-lo todo enquanto se assiste ao desenho do Bob Esponja. Mas isso não vai te fazer ficar grande ou forte. Andando pela floresta a coisa fica um pouco mais complicada, dependendo do tipo de cogumelo com o qual você se deparar e comer talvez não aconteça nada, talvez você morra se comer um que seja venenoso. O mais próximo de ficar grande é se você encontrar um Psilocybe mexicana, como ele é alucinógeno e tem efeitos próximos ao da mescalica e do LSD talvez você se sinta grande e poderoso, mas isso passa e com o tempo você volta a se sentir um bosta.
Algo que com certeza você não vai encontrar é uma trufa. E eu não estou me referindo áqueles bombons recheados de amarula que você comprava daquela menina mala na escola, estou falando de uma das coisas mais deliciosas, que eu nunca vou ter grana pra comer, que são os ascomas de alguns ascomicetos que crescem enterrados no solo se associando a raízes principalmente de carvalhos e de aveleiros e são procurados por cães e porcos especialmente treinados.Os porcos usados são fêmeas por que as trufas exalam u composto químico semelhante ao feromônio produzido pelo macho.
E por curiosidade, que Mário????

6)Fungo não é planta, mas líquen é né tio!?

Não !
Liquens são fungos também, só que eles têm uma alga associado a ele. Os liquens são uma boa por que o fungo dá um meio ambiente pra alga viver e a alga dá os produtos da fotossíntese, ou seja, comida, pro fungo. E esse tipo de sociedade funciona tão bem que esses organismos são os que chegam primeiro pra colonizar um novo local. Ao se estabelecer eles passam a “mijar” ácidos liquênicos, decompõe a rocha nua onde moram -não a rocha toda de uma só mijada, é claro- e formam solo, o que possibilita que plantas possam morar onde ante era apenas rocha nua. Vivem muito bem em lugares inóspitos como a rocha nua ou a Antártida. Eles vão parar lá, pois têm a característica de dessecar muito rápido e ficar em estado de dormência enquanto seco. Ou seja, se um líquen acabar caindo numa roubada dessas, tipo ir parar na Antártida, ele pode acabar dessecando. Quando o clima ameniza ele pode voltar á sua vida de líquen e fazer sua fotossíntese como antes.

7)São as fadas que plantam os Círculos das Fadas?

Não!
Os esporos são formados nos himênios dos corpos de frutificação de outros fungos já adultos, ou seja em baixo dos chapéus dos cogumelos seus pais. Eles são espalhados por aí pelo vento. Se forem parar em um lugar relativamente uniforme como um gramado ou um campo e se esse esporo conseguir crescer e formar um micélio este crescerá na mesma velocidade em todas as direções e por isso terá a forma circular. No meio desse circulo o fungo se alimentará da matéria orgânica do solo, dentro do circulo, onde ele está há mais tempo, o solo será mais pobre e as plantas terão dificuldade em crescer por isso haverá menos plantas e menos “verde” dentro desse circulo. Na borda o fungo acabou de chegar e por isso tem mais comida disponível. É aí onde ele cresce mais rápido e mais intensamente produzindo os conhecidos basidiomas, também chamados de corpos de frutificação ou simplesmente cogumelos. Esses são os tais “círculos das fadas”, muito famosos no folclore europeu mas que nenhum brasileiro nunca ouviu falar.

8)Como o fermento de pão é um fungo, se eu deixar o pão crescendo por umas duas semanas vai nascer um cogumelo lá ?

Não!
Existem vários tipos de fungos, apenas a classe dos basidiomycetes produz cogumelos, tanto os comestíveis quanto os venenosos, as orelhas de pau etc…
Fermento de pão é o Saccharomyces cerevisiae, que faz parte do grupo dos fungos conidiais, um grupo de fungos esquisitos dos quais só se conhece a fase da reprodução assexuada ou não se utiliza a fase sexuada para a classificação. Eram chamados de “fungi imperfecti”, por só se conhecer sua fase assexuada eles eram tidos como fungos “imperfeitos” (o que seria um fungo “perfeito”? Aquele que não mofa nada de importante nem dá alergia?). Mas como esse nome é muito tosco hoje eles são chamados de conidiais mesmo.
Saccharomyces cerevisiae é uma levedura, ou seja, é unicelular (sim, levedura é isso mesmo, um fungo unicelular). Ele se reproduz por brotamento, de forma assexuada e sem formar um corpo de frutificação.
Se você deixar o pão crescendo por muito tempo talvez surjam cogumelos ou coisas verde-peludas, mas não terão nada á ver com o fermento de pão será apenas a massa do pão embolorando antes de começar a apodrecer.

9)As raízes das minhas plantas estão apodrecendo, provavelmente é um fungo, vou comprar um fungicida bem forte pra acabar com esses seres que só apodrecem as raízes das plantas, isso vai resolver o problema?

Não!
Na verdade fungos são seres altamente benéficos pras plantas. Os fungos que se associam ás raízes de plantas beneficiam suas hospedeiras pelo aumento da capacidade de absorção de água e sais minerais. Esse tipo de associação é chamado de micorriza. As plantas conquistaram o ambiente terrestre muito provavelmente com a ajuda das micorrizas, uma vez que os solos da época eram muito pobres, a presença das micorrizas ajudando na absorção de nutrientes deve ter sido crucial.
Claro que existem fungos patogênicos mas jogar um monte de fungicida bem forte provavelmente não é a melhor solução para seu problema, você pode até se intoxicar e vir a falecer fazendo isso. Eu sugeriria que você conferisse a drenagem do vaso, talvez seja essa a causa da podridão das raízes de suas plantas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: