Quem quer viver um milhão de anos ?

fevereiro 21, 2010

Você gosta das idéias de Charles Darwin ?
Você sabe como funciona a seleção natural ?
Nesse jogo você cria uma população e tem que fazê-la sobreviver á um monte de coisas que vão acontecendo, surgem predadores, frio intensso, aquecimento global, cataclismas, dentre outras coisas.
Jogue e depois diga até onde você chegou !!

Algumas questões sobre fungos.

fevereiro 21, 2010

1-)Pra que serve um fungo? Só pra pôr na comida?
Não!
Na natureza fungos são decompositores importantes, é importante que alguém quebre a matéria orgânica, liberando não só o dióxido de carbono na atmosfera como também retornando ao solo os compostos nitrogenados e outras substâncias que poderão ser reutilizadas pelas plantas. Ou seja, fungos sevem pra apodrecer as coisas e eles não distinguem uma árvore caída na floresta de uma cerca, ele simplesmente joga suas enzimas encima da madeira pra digeri-la e se alimentar. Isso faz deles um grupo de interesse para o homem, pois quase nenhum ser humano gosta de ter suas coisas mofadas ou com cogumelos nascendo em cima. Mas há quem cultive fungos comestíveis, por causa da grana que eles ganham em cima dos cogumelos. Os bêbados também são fãs do trabalho dos fungos, uma vez que o Álcool é produzido por um fungo. Aquele monte de velho que logo cedo fica fazendo fila na porta da padaria também prefere a comida com fungo. É verdade que quanto o pão vai pro forno o fungo morre, mas sem a ação das leveduras não teríamos pão fermentado. Usa-se uma levedura na fabricação de certos tipos de queijo. A penicilina é um remédio que vem de um fungo, fungos são benéficos para, plantas e algas, por viverem em simbiose com eles, enfim eles são seres legais que ajudam a natureza a manter seu equilíbrio e de quebra nos fornecem bebidas alcoólicas, pães fermentados e queijos

2)Fungo é um tipo de planta, né tio?
Não!
Os fungos podem até se parecer com plantas, por serem sésseis e paradões, ficando sempre plantados em um lugar só. Antigamente classificavam-se os fungos como uma esquisitice botânica que por algum motivo perdeu a capacidade de fazer fotossíntese e que passou a viver sobre sua comida. Hoje em dia acredita-se que os fungos estão mais perto de uma barata do que de uma samambaia! As samambaias têm parede celular de celulose e os fungos, ao contrário, têm parede celular de quitina.
-Quitina? Que nem exoesqueleto de barata?
Não é um exoesqueleto é uma parede celular, mas a substância é a mesma. E não é só isso, as células dos fungos armazenam seu alimento na forma de glicogênio, mesma substância usada por animais como as baratas já as plantas utilizam amido como reserva.
Isso indica que os fungos são mais próximos dos animais do que das plantas, apesar de terem mais cara de planta.

3)Tá mofado, credo! Posso jogar esse negócio fora?

Não!
Um dia, lá pelo ano de 1928, um tal Alexander Fleming, que era cientista e que por algum motivo cultivava Straphylococus em uma placa de petri,( sabe aqueles vidrinhos redondos, mais largos do que altos, onde os cientistas cultivam fungos, bactérias e nojos em geral? Isso é uma placa de Petri.) Um dia uma das tais placas de Petri do Alexander mofou ! O que o grande Alexander fez? Botou aquele mofo no microscópio e descobriu a penicilina! Ele viu que o organismo que crescia ali pruduzia alguma substância que matava as bactérias que ele cultivava com tanto carinho. Só que ele percebeu que essa substância que matava suas queridas bactérias mataria também bactérias que causam doenças graves nas pessoas. E assim foi descoberto o primeiro antibiótico.

4)Tá mofado só no cantinho, se eu cortar essa parte verde peluda eu posso comer o resto né?

Não!
A parte verde peluda não é a parte principal do fungo. É só a estrutura que o fungo usa pra espalhar seus esporos por aí.
A parte principal dele é chamada micélio, que é um emaranhado de células filamentosas que crescem por toda a laranja ou pão pedaço de madeira ou onde quer que o organismo se desenvolva. E é só isso, esse tipo de “bicho” não têm boca ou estômago pra mastigar e digerir seu alimento, nem pernas ou braços pra poder correr atrás de comida, ele cresce em cima da sua comida liberando enzimas que digerem o alimento, depois ele absorve o produto dessa reação e é esse o rango dele. Esse micélio serve também pra reprodução. No geral os fungos podem se reproduzir por um mote de formas diferentes, com ou sem sexo. Tudo bem que falar de sexo de fungo é meio esquisito. No geral o ciclo de vida é o seguinte: Um esporo cai no substrato-laranja, pão, a fita do vídeo do casamento de seus pais – e começa a germinar. Depois de germinar ele encontra com outro e ocorre a plasmogamia, ou seja, as células se fundem, como um espermatozóide que entra no óvulo, mas ao contrário dos núcleos do óvulo e do espermatozóide, que se fundem o mais rápido possível, na plasmogamia só o citoplasma se funde, os núcleos vão se fundir mais tarde. Essas células muito loucas com dois núcleos formarão um tipo de micélio que dará origem aos esporos. Depois de um tempo os núcleos se fundem e ocorrem algumas divisões celulares tão loucas conforme o tipo do cogumelo que vai nascer permitir. As células originadas á partir dessas divisões celulares serão outros esporos que recomeçarão o ciclo. Alguns tipos de fungo se não encontram uma “fêmea” podem ficar se reproduzindo sem sexo, através de esporos. Fêmea e macho são duas coisas que não se aplica á fungos, eles não têm pipi nem menstruam então não dá pra usar esses termos. Usa-se linhagens +(mais) e linhagens – (menos). Ou seja, tirando a aparte verde-peluda o fungo não só permanece lá dentro como também está vivo, se alimentando e se reproduzindo.

5) O Mário come um cogumelo e fica grande e forte, se eu comer um vou ficar grande e forte também?

Não!
Cogumelo é o corpo de frutificação de alguns basidiomicetos, ou seja, eles existem para que os fungos se reproduzam, se você encontra um negócio desses por aí e manda pra dentro o problema é seu. É verdade que dá pra ir tranquilamente num supermercado e comprar um pote de champignon, ou seja, lá como se escreve o nome dessa coisa, e comê-lo todo enquanto se assiste ao desenho do Bob Esponja. Mas isso não vai te fazer ficar grande ou forte. Andando pela floresta a coisa fica um pouco mais complicada, dependendo do tipo de cogumelo com o qual você se deparar e comer talvez não aconteça nada, talvez você morra se comer um que seja venenoso. O mais próximo de ficar grande é se você encontrar um Psilocybe mexicana, como ele é alucinógeno e tem efeitos próximos ao da mescalica e do LSD talvez você se sinta grande e poderoso, mas isso passa e com o tempo você volta a se sentir um bosta.
Algo que com certeza você não vai encontrar é uma trufa. E eu não estou me referindo áqueles bombons recheados de amarula que você comprava daquela menina mala na escola, estou falando de uma das coisas mais deliciosas, que eu nunca vou ter grana pra comer, que são os ascomas de alguns ascomicetos que crescem enterrados no solo se associando a raízes principalmente de carvalhos e de aveleiros e são procurados por cães e porcos especialmente treinados.Os porcos usados são fêmeas por que as trufas exalam u composto químico semelhante ao feromônio produzido pelo macho.
E por curiosidade, que Mário????

6)Fungo não é planta, mas líquen é né tio!?

Não !
Liquens são fungos também, só que eles têm uma alga associado a ele. Os liquens são uma boa por que o fungo dá um meio ambiente pra alga viver e a alga dá os produtos da fotossíntese, ou seja, comida, pro fungo. E esse tipo de sociedade funciona tão bem que esses organismos são os que chegam primeiro pra colonizar um novo local. Ao se estabelecer eles passam a “mijar” ácidos liquênicos, decompõe a rocha nua onde moram -não a rocha toda de uma só mijada, é claro- e formam solo, o que possibilita que plantas possam morar onde ante era apenas rocha nua. Vivem muito bem em lugares inóspitos como a rocha nua ou a Antártida. Eles vão parar lá, pois têm a característica de dessecar muito rápido e ficar em estado de dormência enquanto seco. Ou seja, se um líquen acabar caindo numa roubada dessas, tipo ir parar na Antártida, ele pode acabar dessecando. Quando o clima ameniza ele pode voltar á sua vida de líquen e fazer sua fotossíntese como antes.

7)São as fadas que plantam os Círculos das Fadas?

Não!
Os esporos são formados nos himênios dos corpos de frutificação de outros fungos já adultos, ou seja em baixo dos chapéus dos cogumelos seus pais. Eles são espalhados por aí pelo vento. Se forem parar em um lugar relativamente uniforme como um gramado ou um campo e se esse esporo conseguir crescer e formar um micélio este crescerá na mesma velocidade em todas as direções e por isso terá a forma circular. No meio desse circulo o fungo se alimentará da matéria orgânica do solo, dentro do circulo, onde ele está há mais tempo, o solo será mais pobre e as plantas terão dificuldade em crescer por isso haverá menos plantas e menos “verde” dentro desse circulo. Na borda o fungo acabou de chegar e por isso tem mais comida disponível. É aí onde ele cresce mais rápido e mais intensamente produzindo os conhecidos basidiomas, também chamados de corpos de frutificação ou simplesmente cogumelos. Esses são os tais “círculos das fadas”, muito famosos no folclore europeu mas que nenhum brasileiro nunca ouviu falar.

8)Como o fermento de pão é um fungo, se eu deixar o pão crescendo por umas duas semanas vai nascer um cogumelo lá ?

Não!
Existem vários tipos de fungos, apenas a classe dos basidiomycetes produz cogumelos, tanto os comestíveis quanto os venenosos, as orelhas de pau etc…
Fermento de pão é o Saccharomyces cerevisiae, que faz parte do grupo dos fungos conidiais, um grupo de fungos esquisitos dos quais só se conhece a fase da reprodução assexuada ou não se utiliza a fase sexuada para a classificação. Eram chamados de “fungi imperfecti”, por só se conhecer sua fase assexuada eles eram tidos como fungos “imperfeitos” (o que seria um fungo “perfeito”? Aquele que não mofa nada de importante nem dá alergia?). Mas como esse nome é muito tosco hoje eles são chamados de conidiais mesmo.
Saccharomyces cerevisiae é uma levedura, ou seja, é unicelular (sim, levedura é isso mesmo, um fungo unicelular). Ele se reproduz por brotamento, de forma assexuada e sem formar um corpo de frutificação.
Se você deixar o pão crescendo por muito tempo talvez surjam cogumelos ou coisas verde-peludas, mas não terão nada á ver com o fermento de pão será apenas a massa do pão embolorando antes de começar a apodrecer.

9)As raízes das minhas plantas estão apodrecendo, provavelmente é um fungo, vou comprar um fungicida bem forte pra acabar com esses seres que só apodrecem as raízes das plantas, isso vai resolver o problema?

Não!
Na verdade fungos são seres altamente benéficos pras plantas. Os fungos que se associam ás raízes de plantas beneficiam suas hospedeiras pelo aumento da capacidade de absorção de água e sais minerais. Esse tipo de associação é chamado de micorriza. As plantas conquistaram o ambiente terrestre muito provavelmente com a ajuda das micorrizas, uma vez que os solos da época eram muito pobres, a presença das micorrizas ajudando na absorção de nutrientes deve ter sido crucial.
Claro que existem fungos patogênicos mas jogar um monte de fungicida bem forte provavelmente não é a melhor solução para seu problema, você pode até se intoxicar e vir a falecer fazendo isso. Eu sugeriria que você conferisse a drenagem do vaso, talvez seja essa a causa da podridão das raízes de suas plantas.

Dá pra reciclar pacote de bolacha ?

fevereiro 18, 2010

Um dia, entre uma aula e outra da faculdade surgiu a discução sobre de qual material era feito o pacote de uma determinada bolacha, se era papel, folha de metal como papel alumínio, plástico… Concluímos que vidro não era, mas não descobrimos ao certo de que raios era feito o pacote da bolacha. A única coisa que eu sabia que dizia algo era um triangulo impresso na embalagem com um número dentro . Como esse aí em baixo.

Depois fui descobrir que esse tipo de símbolo é usado pra identificar o tipo do plástico do qual é feito o objeto que você quer reciclar.

Eu fico pensando como pode-se dizer qual tipo de plástico é feito uma coisa simplesmente por um número. Existem tantos tipos de plásticos! Tudo ou é feito de plástico ou vem em uma embalagem de plástico. Olhe a sua volta, o monitor para o qual você está olhando agora tem partes plásticas, o teclado o mouse e a CPU, enfim o computador todo…

O refrigerante vem em garrafas de plástico. O macarrão instantâneo que te alimenta diariamente é embalado em plástico, as bolachas da sobremesa também. Duvido que alguém encontre algo que não envolva nenhum tipo de resina plástica em seu processo de produção, transporte, embalagem, consumo, descarte etc. Ou seja, é plástico pra chuchu sendo produzido, utilizado e conseqüentemente descartado.

Uma coisa boa é que a maioria dos tipos de plástico é reciclável, como por exemplo:

Sacos, CDs, disquetes, embalagens de produtos de limpeza, PET (como garrafas de refrigerante), canos e tubos, plásticos em geral

Os principais plásticos não recicláveis são os plásticos termofixos (usados na indústria eletro-eletrônica como os que compõe so seu PC e alguns telefones e eletrodomésticos), embalagens plásticas metalizadas (como as de salgadinhos), isopor.

Ao final dessa história ainda descobri o que significa cada triângulo, mas como não me lembro do número que estava no triângulo da embalagem de bolachas ainda não descobri do que se trata, mas é certo que é plástico!

Chuva

fevereiro 17, 2010
Ontem no fim da tarde eu estava voltando pra casa, depois de mais um cansativo e maçante dia de trabalho quando começou a chover. Nada de incomum nos verões de São Paulo. Abri meu guarda chuva, como todo paulistano que está em meio à chuva e possui um equipamento desses. Dez minutos de caminhada e alguns metros depois eu chegava em casa todo molhado, o guarda-chuva quebrado e meus aparelhos eletrônicos, mp4 e celular, correndo risco de serem destruídos pela chuva.
chuva.jpg
Fiquei me perguntando onde os empresários estão com a cabeça? Estão perdendo um mercado enorme! Ganham dinheiro vendendo um monte de tecnologia por aí, mas ainda não inventaram nada pra gente se livrar da chuva! Existem guarda-chuvas, capas e outras traquitanas medievais, mas nada que te deixe 100% seco.
Existe tanto conhecimento sobre cargas elétricas, magnetismos e coisas que se repelem, devia existir um spray, uma loção, algo que você passasse no corpo e na roupa e que te deixasse livre da água, ou ainda um aparelhinho que gerasse um campo eletromagnético que repelisse a água a Apple ou a Microsoft poderiam instalar nesse aparelhinho um aplicativo on-line que estivesse ligado em tempo real com a previsão do tempo e que em caso de previsão de chuva ele ligasse na potência necessária pra evitar a chuva forte ou a garoa que viesse.
O spray teria o inconveniente de não poder ser lavado com água, mas nada que o bom e velho tetracloreto de carbono não resolva!! O aparelho talvez tivesse o inconveniente de causar algum tipo de câncer ou interferir no fluxo de água dos encanamentos dos prédios, ou talvez, um campo ao entrar em contato com outro causasse uma grande explosão.
Tudo bem isso tudo é um monte de viagem na maionese, mas que os camelôs podiam criar vergonha na cara e vender guarda chuva que preste !

Uma barata! Mata… Mata!

fevereiro 17, 2010

This is my new bloog !!!


Concordo que é um tanto desagradável acordar no meio da madrugada com aquela vontade de esvaziar a bexiga e topar com uma baratona no banheiro, ter que matá-la, se livrar do cadáver e limpar aquela meleca branca que saiu dela depois que você a esmagou com o rodo.

É também socialmente convencionado que as baratas são nojentas. Você é obrigado a detestar as baratas e ter como uma de suas metas pessoais de vida eliminar essa espécie da face da terra. E por causa de tão nobre ideal humano, um entre muitos outros nobres ideais humanos, e diante do avanço da magnífica indústria química o ser humano criou um instrumento super poderoso pra eliminar da face da terra esse animal imundo que é a barata: O inseticida.

Só tem o detalhezinho de que ele não funciona imediatamente, lembro-me quando era criança e as pessoas de casa ficavam correndo atrás das baratas com a latinha de inseticida da mão, borrifando veneno nas baratas. Elas não morriam imediatamente após o contato com o produto, tinham ainda uns minutinhos de vida que lhes davam a chance de sair correndo e se esconderem sob algum móvel pra morrer lá e deixarem a dúvida a respeito de sua morte, na tentativa de eliminar tal dúvida dava-se uma última borrifada de inseticida atrás do móvel e todo mundo ia dormir ainda com a sensação de que ia acordar com o maldito inseto dentro da boca.

Três coisas não muito úteis que se faz ao usar inseticida

Essa é a nossa cultura em relação ás baratas, imbecíl e manipulada pela indústria, não percebemos que ao jogar veneno na casa toda estamos na verdade fazendo algumas coisas que não gostaríamos que ninguém fizesse.

1-   Você está contribuindo com a seleção das baratas e criando seres ininvenenáveis. Ao acaso os seres vivos têm pequenas diferenças que os tornam únicos e isso não é novidade pra ninguém, basta você se comparar com alguém e perceber as diferenças. Alguns são mais orelhudos, alguns mais barbudos, alguns mais resistentes a venenos etc. Com as baratas é a mesma coisa, ao acaso surgem baratas resistentes aos venenos. Até então problema nenhum, são duas resistentes em um bilhão, mas quando você sai por aí borrifando veneno á torto e á direito você mata as novecentas e noventa e nove mil novecentas e noventa e oito e sobram as duas resistentes o que te se ferra, só elas terão filhos que terão maior chance de ser resistente, quanto mais veneno mais resistentes as baratas.

2-   A indústria química fica feliz com baratas super resistentes, elas fazem a economia rodar e o país crescer.Ao criar baratas resistentes á um determinado tipo de veneno a indústria tem que criar outro tipo de veneno, pra isso ela contrata um monte de gente inteligente que cria o novo inseticida e te convence que ele é ótimo, mata mesmo e de que você precisa dele. Aí você vai ao mercado compra o veneno, cria baratas resistentes, e depois compra o outro veneno criado pela indústria e todo o ciclo começa de novo. Você pra sempre gastando dinheiro com veneno, a indústria sempre ganhando grana em cima de você e as baratas lá, enchendo o saco e se tornando cada vez mais resistentes.

3-   Envenenando sua família. Inseticida é veneno, tipo de substância criada especialmente pra matar barata, que é animal assim como eu e você. Se mata barata provavelmente pode te matar também. Ficar jogando veneno pra matar barata é idiota também pelo fato de que você acaba por envenenar sua própria casa, mas não elimina completamente as baratas

As baratas invadem sua casa por que lá elas encontram algo que gostam muito: COMIDA

A natureza é regulada de forma a se aproveitar ao máximo todo tipo de recurso. O que pra alguns seres é refugo pra outros é matéria-prima. Essa é a resposta, seu lixo é o responsável pelo aparecimento de baratas na sua casa. Pra nos livrarmos delas temos que produzir menos lixo, dar um destino para o lixo que produzimos, reciclando o que é reciclável e compostando o resto, pra que toda a matéria possa voltar aos ciclos biogeoquímicos e pra que a natureza funcione como tem que funcionar.

Conclusão – as baratas vivem nas cidades como comensais dos seres humanos, pra evitar sua presença a solução é limpeza, não veneno !!